Filedrop

Partilhar Sem Configurar

filedrop icon

O Filedrop é uma aplicação que, como tantas, é pequena em tamanho mas grande em utilidade (e que tal esta tirada como cliché?). Serve para partilhar ficheiros entre as seguintes plataformas:

  • iPhone/iPad/Ipod Touch – 0,89€
  • Mac OS X – grátis
  • Windows 7/8/8.1 – grátis
  • Android (em breve)

Continuar a ler

Anúncios

Apple – Iphone 5c

Imagem

Neste artigo vamos falar acerca do novo iphone 5c, o recente lançamento e divulgação da Apple. Esta versão de iphone é uma versão low cost,

ou seja uma versão muito mais barata do que um iphone 5 comum. O “corpo”

deste é composto por plástico de várias cores tais como amarelo, verde, vermelho e branco.

Continuar a ler

Streaming de Música e Filmes

Do Computador Para o Ipad, Iphone ou Google Android

APMont2

Através do Air Playit, uma pequena aplicação que utiliza o modelo cliente-servidor, podemos aceder aos conteúdos multimédia guardados no computador. O Air Playit é uma aplicação de streaming de multimédia, concebida para “difundir” audio e vídeo através das redes informáticas, seja a internet seja a sua rede doméstica. Utilizando protocolos e tipos de ficheiro específicos podemos ver, no tablete ou no smartphone, o vídeo que está guardado no computador. Sem conversões visíveis é tudo tratado, de forma transparente, pelo software.

Continuar a ler

CONTROLAR O MAC

Slide1A Partir De Outro Computador

Tenho, no meu “laboratório informático”, uma rede híbrida constituída por Mac OS 10.8.3 (hackintosh = mac dos pobres), Debian GNU/Linux, Ubuntu, Edubuntu, OpenSuse, Superb Mini Server, CentOS num servidor HP Proliant G4 e, muito ocasionalmente, Windows 7. O windows 8 só mesmo em ambiente virtual. Não conto aqui as instalações virtuais.

Estes computadores não funcionam todos ao mesmo tempo, mal de mim, com a conta da electricidade a subir que nem um balão perdido. Mas quando estão ligados, é muito pouco prático andar a correr atrás do switch kvm, isto se o computador em questão tiver monitor, o que nem sempre é o caso. É, então, prática comum ter um servidor VNC a correr nalgumas destas máquinas, a par com SSH. Neste caso precisei de aceder remotamente ao Mac, por isso activei o servidor SSH e VNC que vêm, de origem, com o Mac OS X.

Continuar a ler

GOOGLE DRIVE NO LINUX

CORTESIA DA BITTORRENT SYNCComposiçao2

Neste nosso mundinho há dois motivos para as coisas não acontecerem. Porque não se pode ou porque não se quer. Ora, a Google pode, portanto não quer. E não quer o quê? Fazer a aplicação, para Linux, que liga o desktop do utilizador ao serviço de “cloud storage” da Google, o “Google Drive”. Aplicação que já existe, gratuitamente e há algum tempo, para os utilizadores de Mac e de PC. Porquê esta alienação da comunidade Linux? A Google trabalha com o Linux, por exemplo, no Android. Ou no Goobuntu, o Ubuntu personalizado pela própria Google para os seus funcionários. Não será isso mais difícil de fazer do que uma pequena aplicação cliente para o Google Drive?

(EDITADO a 10.6.2013) – Parece que não sou o único a pensar assim, nesse sentido foi criada, há 3 dias, uma petição para que se faça, de uma vez por todas, a aplicação Google Drive para Linux. Fica o link;

http://www.omgubuntu.co.uk/2013/06/google-drive-for-linux-petition

Continuar a ler

BitTorrent Sync

PARTILHA SEM LIMITESBitTorrent Sync Logo

O BitTorrent Sync, lançado recentemente pela BitTorrent Labs, tem como objectivo a partilha e sincronização automática de ficheiros, entre os vários computadores de um lar, de familiares ou de amigos. É um serviço gratuito que suporta a transferência de ficheiros de grande dimensão, de forma segura e encriptada. Não há limites para a quantidade ou tamanho dos ficheiros a partilhar. São suportadas as seguintes plataformas:

Continuar a ler

VER FICHEIROS ESCONDIDOS NO MAC OS X

COM APENAS DOIS COMANDOS

Por definição, numa máquina Unix/Linux (mac os x  incluído), os ficheiros que começam (prefixo) com um “.” estão escondidos. E, no linux, todos os objectos dentro de um computador são ficheiros. As “pastas” são apenas ficheiros “especiais” que podem conter outros ficheiros. Cada componente de hardware é também representado por um ficheiro. Por vezes torna-se necessário vermos esses ficheiros para podermos interagir com eles. Vamos tornar estes ficheiros visíveis no nosso Mac OS X. A primeira coisa a fazer é abrir o “Terminal” para podermos escrever as configurações que vamos passar ao sistema operativo.

Continuar a ler